Ônibus elétricos
Por Silvio Meira

parte da frota de ônibus do recife já foi elétrica. o que me levava entre casa na encruzilhada e colégio na boa vista, nos anos 70, era. se tudo correr bem, vou voltar a rodar de ônibus elétrico no recife qualquer dia destes e, daqui a algum tempo, quase todo mundo, em todo mundo, vai rodar num. dependendo do lugar, distâncias percorridas e dos custos de energia e petróleo, já é mais barato rodar um ônibus elétrico do que um a diesel hoje. não daqui a dez, cinco ou dois anos: hoje. olhe a imagem abaixo, de custo total de ter/rodar ônibus diesel e elétricos.

bus.jpg

a imagem é do estudo Electric Buses in Cities: Driving Towards Cleaner Air and Lower CO2, feito pela Bloomberg New Energy Finance para o C40 Cities Climate Leadership Group, rede de 90 megacidades globais que assumiu o compromisso enfrentar as mudanças climáticas globais.

o estudo prevê que…

em 2030, 84% de todas as vendas de ônibus municipais será de veículos elétricos;
em 2040, 80% de toda a frota global de ônibus urbanos será elétrica, um total de 2.3 milhões de veículos;
também em 2040, quando mais de 50% da venda de veículos leves de passageiros será de elétricos, a combinação de economia de gasolina dos veículos leves e diesel dos ônibus será de 7,3 milhões de barris de petróleo por dia…
…para um total de 559 milhões de veículos elétricos de todos os tipos rodando em 2040, algo como 1/3 de toda frota automotiva global.

já perdemos uma década… só mudando os prazos…. êêê, brasil!

só pra gente comparar, a economia de gasolina e diesel derivada do uso de ônibus e carros elétricos seria cerca de 8% da produção global e 2,8 vezes toda a produção brasil, que ocupa o décimo lugar entre os maiores produtores de óleo.

quem está correndo para eletrificar toda sua frota de veículos de transporte público é a china, muito mais do que qualquer outro país ou região do mundo. até dezembro de 2017, a cidade de shenzen eletrificou toda sua frota de ônibus, todos os 16.359 deles; 2018 está sendo o ano dos táxis, cerca de 17.000, com a marca de 60% elétricos atingida em abril. mas não aconteceu de repente: o projeto começou em 2009, como parte de um esforço nacional para eletrificar os transportes públicos; quase dez anos depois, os resultados estão chegando. em 2040, a china deverá ter cerca de 200 milhões de veículos elétricos nas suas estradas e ruas.

no brasil, se quer fazer tudo num mandato, pra poder inaugurar pra campanha do próximo. não rola. ou então fazer pilotos, botar uns poucos carros elétricos na rua pra gerar mídia, quem sabe um ou outro ônibus, e nunca mais falar do assunto. pra que mexer com as fábricas, empresas de transporte, regras, treinar motoristas para o futuro, investir em novas soluções de mobilidade elétrica e autônoma, criando oportunidades de desenvolvimento local de classe global… se pode ficar tudo do jeito que está? lá no futuro, quando não houver nenhuma outra alternativa -não haverá ônibus diesel pra comprar… nem diesel pra os que houver- aí, enfim, começaremos a usar elétricos de novo, como já usamos entre 1960 e 2001 aqui no recife.

poderíamos ter continuado usando os “velhos” elétricos como os que rodavam por aqui? na foto acima, se você prestar atenção, o caminhão da CTU lá depois da árvore está dando manutenção na rede aérea de eletricidade. parou a rede, parou tudo. imagine hoje, dezenas de ônibus parados no 13 de maio [o lugar da imagem, que é um entroncamento], sem energia. caos total.

quase certamente não daria para continuar como era… pois, sem modernizar todo o sistema, eles já não davam mais conta da demanda, com as qualidades que o serviço passou a exigir… que por sinal estão muito longe de serem atendidas pela atual frota a diesel sobre chassi de caminhão, que roda em boa parte do brasil e é quase toda frota do recife. mas é hora, agora, de planejar, testar e operar, em todas as grandes cidades do brasil, sistemas de mobilidade urbana, pública, que aliem transporte limpo, seguro e acessível para a população [como dissemos nesse outro texto, há pouco tempo].

algumas cidades brasileiras, muito poucas, estão fazendo pilotos com ônibus elétricos que usam tecnologia chinesa e chassis brasileiro. mas o buraco, aqui, é muito mais embaixo: o transporte [público] urbano é um emaranhado de problemas; quer você ouça as empresas, os especialistas ou governantes, o sentimento -na verdade, a certeza- é de que trocar diesel por eletricidade trata o problema ambiental, mas o caos da mobilidade continuará conosco. quer ver um indicador?… a política nacional de mobilidade urbana, da lei nº 12.587/2012, deu até 2015 de prazo para as 1.700 cidades de mais de 20 mil habitantes entregarem um plano de mobilidade ao ministério das cidades. só 500 o fizeram e o prazo foi mudado pra abril de 2018… e, agora, para abril de 2019. já perdemos uma década… só mudando os prazos…. êêê, brasil! enquanto isso…

sp-1-800x533.jpg


Silvio Meira

Fundador do www.portodigital.org e cientista-chefe do www.cesar.org.br, escreve mensalmente para a Folha de São Paulo.

 

 

 

 

+Artigos
O Portal EcoD é um projeto do Instituto EcoDesenvolvimento - O conteúdo está sob uma licença Creative Commons CC
Desenvolvido pela 220i | versão tradicional | versão mobile