Famílias do Semiárido podem ter 50 dias de água potável com doação de R$ 30
Postado em Água em 04/09/2017 às 11h18 por Redação EcoD

sdw-ecod.jpg
O Aqualuz tem mecanismo de funcionamento simples e seguro
Fotos: Divulgação

Aqui no EcoD nós já contamos algumas vezes a história de Anna Beserra, jovem baiana que criou a startup socioambiental Safe Drinking Water For All - SDW (Água Potável Para Todos), cujo o projeto consiste em levar água potável para famílias brasileiras que sofrem com a escassez do recurso. A iniciativa é tão promissora que a estudante de 19 anos, que cursa Biotecnologia na Universidade Federal da Bahia, já até representou o Brasil nos Estados Unidos em um evento para empreendedores no MIT, uma das instituições de ensino mais prestigiadas do mundo. Agora, a SDW lança uma campanha de financiamento coletivo para levar a tecnologia Aqualuz para famílias do Semiárido.

Primeiro dispositivo voltado para cisternas que fornece água potável utilizando apenas os raios solares e sisal (planta abundante no Semiárido de todo o mundo), o Aqualuz tem mecanismo de funcionamento simples e seguro: basta bombear a água da cisterna para o equipamento, onde a água primeiro passará pelo filtro e as partículas sólidas que a deixam escura são retiradas. Em seguida, ela segue para um reservatório onde fica exposta ao sol por um período entre uma e quatro horas. Todo o processo é controlado por um sistema de monitoramento que avisa quando a água está pronta. Assim, o operador pode retirá-la diretamente da torneira do equipamento.

Para manutenção, não precisa de nada além de água e sabão para limpar o equipamento e as fibras podem ser trocadas por outras sem segredo, o manual de instruções mostra tudo através de imagens intuitivas. Mas e o que falta para essas famílias terem essa solução? A campanha da SDW (www.doar.sdwforall.com) via plataforma PagSeguro pretende levar, gratuitamente, 15 unidades do Aqualuz para 15 famílias de uma cidade chamada Valente (BA), mais conhecida como a capital do sisal, e para isso precisa de R$ 23 mil para viabilizar o projeto. “Precisamos de R$ 23 mil para beneficiar essas famílias. A cada 30,00 doados é possível ajudar uma família a ter 50 dias de água potável”, exemplifica Anna.

sdw2-ecod.jpg
Anna Beserra: jovem empreendedora pede apoio para viabilizar solução de água potável para famílias do Semiárido

Na etapa de implantação em Valente, a SDW se responsabilizará pela construção dos equipamentos prometidos e financiados, sendo que a entrega será feita pela organização parceira, o Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território do Sisal (Consisal). “A SDW fará o acompanhamento e realizará um mutirão cultural envolvendo temáticas da água, incluindo a explicação de como funcionará o projeto”, informa o texto da iniciativa.

Escassez
Atualmente, quase 800 milhões de pessoas carecem de acesso à água potável limpa e de qualidade segura. As Nações Unidas estimam que em 2025 até 1,8 bilhão de seres humanos viva em países ou regiões com extrema escassez do recurso.

No Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há mais de quatro milhões de famílias agricultoras camponesas. Destas, 50% vivem no Nordeste, a maior parte delas no Semiárido, região de um milhão de km², superior às áreas da Alemanha e França juntas.

A cada período de estiagem, milhares de pessoas não conseguem satisfazer suas necessidades de acesso à água e aos alimentos básicos, e uma pessoa pode gastar até 36 dias por ano exclusivamente em busca desse recurso básico.

Assista ao vídeo em que Anna Beserra apresenta o projeto e a campanha de financiamento coletivo:

 

 - Para doar, clique aqui! -

O Portal EcoD é um projeto do Instituto EcoDesenvolvimento - O conteúdo está sob uma licença Creative Commons CC
Desenvolvido pela 220i | versão tradicional | versão mobile