Energia solar chega à indústria de erva-mate
Postado em Energia em 19/02/2018 às 10h16 por Redação EcoD

solarervateria-eco.jpg

A Erva-Mate Gheno, empresa situada em Concórdia, no oeste catarinense, se tornou a primeira ervateira brasileira autossustentável em energia, ao investir em energia fotovoltaica. Os 62 módulos de painéis fotovoltaicos dão uma capacidade total instalada de 16,43 kWp e mais seis módulos ainda serão instalados, ampliando a potência para 18 kWp, além de um inversor maior, possibilitando uma margem de ampliação na geração de energia em 36%. Ao longo de 25 anos de operação, o sistema poderá evitar a emissão de 308.185 kg de CO2, o que equivale a um carro 1.0 ter rodado 174.116 km, 566 árvores terem sido plantadas ou a "Pegada de Carbono" de seis pessoas.

"A empresa que implantou o sistema fez um estudo e descobriu que somos os primeiros ervateiros a utilizar a energia solar para abastecer todo o parque de máquinas", conta Gilnei Gheno, diretor da Erva-Mate Gheno. A ervateira é uma das 17 fornecedoras de erva-mate da Leão Alimentos e Bebidas, empresa líder de mercado com mais de um século de história e tradição na indústria de chás.

A história da Erva-Mate Gheno começou com João Gheno, o patriarca da família, que fez o primeiro plantio de erva-mate em 1978. Foi apenas em 2006 que dois dos nove filhos, Gilnei e Carlos, decidiram industrializar a erva-mate, realizando o sonho do pai.

"A parceria com a Leão nos permitiu diversos investimentos em nossa unidade. E nesse ultimo semestre triplicamos nossa capacidade de secagem e finalizamos o ano inaugurando a mini usina fotovoltaica para gerar energia sustentável para nossos processos", completa Gilnei Gheno. Os ervais e o parque maquinário da Erva-Mate Gheno ficam ao lado do Parque Estadual Fritz Plaumann, área de preservação ambiental de 741 hectares, às margens do Rio Uruguai.

O Portal EcoD é um projeto do Instituto EcoDesenvolvimento - O conteúdo está sob uma licença Creative Commons CC
Desenvolvido pela 220i | versão tradicional | versão mobile