Vaso sanitário apresentado por Bill Gates dispensa água e rede de esgoto
Postado em EcoDesign em 07/11/2018 às 14h55 por Redação EcoD

billgates-ecod.jpg
O vaso sanitário reinventado transforma excrementos humanos em fertilizante
Fotos: Thomas Peter/Reuters

O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, apresentou na terça-feira, 6 de outubro, uma peça tecnológica que pode revolucionar o mundo, não nos computadores dos escritórios, mas nos banheiros. O vaso sanitário reinventado não precisa de água nem de rede de esgoto, pois usa produtos químicos para transformar dejetos humanos em fertilizante.

"O vaso sanitário atual simplesmente manda os dejetos embora na água, enquanto estes vasos sanitários não têm o esgoto. Eles recebem os dejetos líquidos e sólidos e fazem um trabalho químico neles, o que inclui queimá-los na maioria dos casos", explicou Gates à Reuters.

A novidade foi apresentada no evento Reinvented Toilet Expo, na China. Em palestra, Gates elogiou o livre comércio globalizado, que tornou possível o desenvolvimento do vaso sanitário.

Mais da metade da população mundial não tem acesso a banheiros apropriados, equipamento que deveria ser considerado básico

"Acredito sinceramente que o comércio permite que cada país faça aquilo em que é melhor", afirmou o bilionário. "Então, quando falo de componentes deste vaso sanitário sendo feitos na China, outros na Tailândia, outros nos Estados Unidos, estou dizendo como é bom juntar todo esse QI para ter essa combinação."

Tecnologia pronta
O novo vaso sanitário é resultado de anos de desenvolvimento, em projetos financiados pela Fundação Bill e Melinda Gates. Segundo Gates, a tecnologia já está pronta para entrar no mercado, em vários modelos, e pode ser comparada à computação.

"Da mesma maneira que um computador pessoal é de certa forma autossuficiente, e não uma coisa gigantesca, podemos realizar este processamento químico nos próprios lares", afirmou.

billgates2-ecod.jpg

Bill Gates levou ao palco um pote com excrementos humanos para ilustrar os riscos para a saúde

Revolução global
O que pode parecer trivial tem o potencial para promover uma revolução global no saneamento. No palco, Gates mostrou um pote com excrementos humanos, que continham 200 trilhões de células de rotavírus, 20 bilhões de bactérias e cem mil ovos de parasitas. A esterilização de resíduos humanos podem evitar 500 mil mortes de crianças e economizar US$ 233 bilhões por ano em custos para o tratamento de doenças como diarreia e cólera.

"Nos lugares onde não há instalações sanitárias, tem muito mais disso", afirmou, apontando para o pote. "E é a isso que as crianças são continuamente expostas quando brincam, e é por isso que relacionamos isso não apenas com a qualidade de vida, como também com doenças, morte e desnutrição."

Carência ao básico
De acordo com bilionário, mais da metade da população mundial não tem acesso a banheiros apropriados, equipamento que deveria ser considerado básico.

"Quando você pensa em coisas que são básicas, junto com a saúde e ter o que comer, ter uma privada faz parte desta lista", afirmou.

(Via O Globo, com agências internacionais)

O Portal EcoD é um projeto do Instituto EcoDesenvolvimento - O conteúdo está sob uma licença Creative Commons CC
Desenvolvido pela 220i | versão tradicional | versão mobile